CEME PROMOVE PALESTRAS PARA MULHERES EMPRESÁRIAS NA EXPOGESTÃO

Hoje os eventos da Facisc na Expogestão 2017 foram dedicados às mulheres empresárias de Santa Catarina. Foram cerca de 60 mulheres empreendedoras que participaram da segunda Assembleia Ordinária Geral do CEME, evento promovido em parceria com a Federação e Núcleo da Mulher Empresaria da ACIJ. A AGO acontece quatro vezes ao ano e reúne os núcleos das Mulheres das regionais para realizarem networking e debaterem sobre o empoderamento empresarial feminino.

Confira a galeria de fotos no Facebook da Facisc.

A primeira reunião aconteceu na parte da manhã, na sede da Associação Empresarial de Joinville (ACIJ), com a presença do presidente da Facisc, Ernesto Reck, da presidente do Conselho Nacional (CNME), Neiva Kieling, da presidente do CEME, Janelise Royer dos Santos, da coordenadora do Empreender do Sebrae, Maria de Lourdes Heidenreich, da coordenadora do Núcleo das Mulheres de Joinville, Tânia Lins e da consultora da Facisc, Glauciele Lerner. As diretoras do Conselho Nacional da Mulher Empresária também acompanharam a AGO. Após a solenidade de abertura elas fizeram uma visita técnica na indústria Leper Têxtil.

À tarde as atividades do CEME aconteceram durante a Expogestão. No evento foi apresentada a rede social voltada para pequenas e médias empresas, a ConnectionAmerica for Woman, pelo Francisco Estrazulas, que é especialista em Integração e Comércio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A plataforma conta com um cadastro de mais de 32 mil empresas de cerca de 40 países. Oferece cursos de capacitação, oportunidades de negócios, anúncios de compras, entre outras ferramentas de interesse às empresárias. No Brasil são cerca de 4 mil empresas lideradas por mulheres que participam da plataforma.

De acordo com Francisco, a plataforma oferece importantes serviços gratuitos de interação entre as empresárias. “Queremos oferecer serviços essenciais às associações empresarias filiadas à Facisc, e convidar o CEME para colaborar com conteúdos para plataforma e poder promover o intercâmbio entre as mulheres empresarias de Santa Catarina”, afirmou.

Cases

A presidente do CEME, Janelise Royer, fez a abertura do evento e conduziu as palestras da tarde, deixando mensagens de otimismo para promover o empoderamento das mulheres em SC. “Nas profissões onde o intelecto prevalece, todos temos as mesmas capacidades. E não podemos desistir. Nunca vamos conquistar a igualdade se recusamos o convite por acharmos que não estamos preparadas” afirmou Janelise.

Como ser mulher na Polícia?, foi o tema proferido por Tânia Harada, delegada de Polícia Civil de Joinville, uma das palestrantes convidadas pelo CEME. “Diariamente sou testada se sou capaz de assumir uma profissão atuada em sua maioria pelos homens, é um desafio, mas nunca desisti, pelo contrário, são situações que me impulsionam a seguir adiante”, falou.

Apoio ao empreendedorismo feminino foi outro tema apresentado por Cleide, do Consulado da Mulher, que apresentou as principais ações do consulado que apoia às mulheres empresárias no ramo da alimentação.

A palestra da psicóloga e coach de executivos, Jo Pavezi, que também é escritora do livro Convide seu inimigo para tomar um café, explicou como lidar com os conflitos na gestão de empresas bem como todos os momentos da vida. “Quando surge o conflito é sinal de que haverá mudança no mundo corporativo. Uma das formas de solucionar esse conflito é justamente por meio da intuição feminina”, ressaltou Pavezi.

Ela interagiu com as mulheres empresárias enaltecendo a importância de se usar constantemente a emoção para gerir negócios e pessoas. “Executivos gastam 50% do tempo se dedicando aos conflitos e tratam isso como um processo interno da empresa. Porém, ao invés de focar na razão e nos conflitos devemos nos preocupar com o holístico e prestar mais atenção no sentimento humano. Esse é o segredo para o sucesso”, afirmou.

Convidada

Os eventos do CEME contou com a presença de Andrea Noronha, vice-presidente do Conselho Nacional das Mulheres da Região Norte e presidente do Conselho das Mulheres Empresárias das ACIs do Pará CME. “A gente não exerce de direito o que já é fato. 51% dos domicílios brasileiros são sustentados por mulheres. Nós precisamos reconhecer nossos potenciais e nossa missão é justamente estimular a conscientização e levar conhecimento para as mulheres de que somos capazes”, ressaltou.

Andrea participou das ações do CEME para levar as boas práticas e as metodologias aplicadas pelo conselho para o estado do Pará. “No dia 24 de junho vai haver uma grande mobilização das mulheres empresárias no meu estado por meio das ACIs e será um momento para levarmos conhecimentos aprendidos no Estado de Santa Catarina. Percebemos a excelente organização do CEME e a força de sua representatividade no estado frente ao núcleos empresariais femininos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *