Mãe empresária: história que inspira nos negócios e na família

“Ela nos ensinou a nunca desistir e a correr atrás dos nossos objetivos sempre com garra, determinação, e a sempre levantar a cabeça, estar feliz e pedir proteção”. O depoimento de Katarini Andrade Del Castanhel Pagani parece bem familiar. Os dizeres são o que ela sempre ouviu de sua mãe, a empresária Marilu Del Castanhel.

Integrante do Núcleo da Mulher Empresária há 10 anos e membro da diretoria na Associação de Micro e Pequenas Empresas (Ampe) de Lages, Marilu é inspiração para as filhas Katarini e Katiani, que trabalham com ela na empresa da família – a Castanhel Sistemas de Higienização Profissional. O exemplo delas, onde mãe e filhas compartilham o mesmo ambiente de trabalho, ilustra o perfil de muitas empresas catarinenses, que têm por característica serem familiares.

Dentro do Conselho Estadual da Mulher Empresária (Ceme), é possível identificar muitos casos semelhantes e, neste Dia das Mães, destacamos a história da nucleada Marilu e de suas filhas para representar outras empreendedoras.

A empresa de Marilu iniciou as atividades em 21 de janeiro de 1989, em Lages, e hoje atende as regiões da Serra e Meio Oeste catarinense. “Iniciamos o negócio porque meu marido ficou desempregado e já sabia trabalhar no ramo de vendas, então surgiu a oportunidade de montarmos a empresa”, relata a empresária. Segundo ela, o maior desafio de trabalhar com a família é “ter paciência, compreensão, apoio, aprendizado e troca de experiências”.

A filha Katarini conta que deu seus primeiros passos profissionais na empresa, ainda quando estava cursando o ensino médio. Depois, passou três anos estudando em Florianópolis e, após se formar em Administração, retornou para o negócio da família. “Eu tinha um sonho de trabalhar em outros locais, que não fosse com a minha família. Depois de três anos, voltei muito mais madura, devido à experiência de ter morado fora e ter trabalhado com outras pessoas”, lembra.

Desafios na relação empresa x família

Para Katarini, trabalhar em uma empresa familiar traz como grande desafio não misturar os assuntos da empresa com os assuntos da família, além de aprender a diferenciar e respeitar os papéis de pai e mãe com o papel deles enquanto gestores da empresa.

“Agora, depois de muitos anos, a gente aprendeu a lidar com isso e tem se dado muito bem. Quando eu era mais nova, não tinha certeza se era isso que eu queria e não valorizava muito como valorizo hoje. A partir do momento em que comecei a valorizar o negócio, que eu vi que era rentável e era onde poderia me dar melhor eu viver feliz, foi então que realmente comecei a gostar da empresa e me dar bem com minha família no geral”, comenta Katarini.

A empresária Marilu destaca que o maior ensinamento a ser deixado para suas filhas é “que sejam cidadãs e pessoas honestas, ótimas administradoras e exemplos na vida das pessoas”. De acordo com Katarini, a mãe é a grande inspiração para que isso se realize: “Enxergo minha mãe como uma pessoa muito batalhadora, sempre guerreira e muito disposta. Minha mãe tem milhões de funções e eu me orgulho muito disso, porque ela dá conta de todas as funções e se destaca onde ela está. Me ensinou valores maravilhosos e não tem pessoa que eu tenha mais orgulho do que minha mãe”.

Em nome do Ceme, desejamos um Feliz Dia das Mães a todos as mães empresárias ligadas aos 64 núcleos em Santa Catarina.

Empresária Marilu ao lado das filhas Katiani e Katarini

História das empreendedoras lageanas serve de exemplo para outras mulheres. Foto: Arquivo pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *