Núcleos de mulheres empresárias chegam a mais de 60 municípios catarinenses

Desenvolvendo um trabalho de incentivo e fortalecimento do empreendedorismo feminino através do associativismo, o Conselho Estadual da Mulher Empresária de Santa Catarina (Ceme) conta com 64 núcleos de mulheres empresárias, espalhados em 12 regionais, com a participação de mais de mil mulheres. Essa representatividade deve-se ao trabalho realizado pelas associações empresariais, que, somente entre fevereiro do ano passado e maio deste ano, fundaram 12 novos núcleos pelo Estado.

Em 2018, foram criados 10 núcleos, ligados às associações empresariais de Schroeder, na regional Norte; Tunápolis/Santa Helena e Caibi, no Extremo Oeste; Campos Novos e Curitibanos, no Meio Oeste; Pouso Redondo e Ituporanga, no Alto Vale; Itaiópolis e Mafra, no Planalto Norte; e Dionísio Cerqueira, no Noroeste catarinense. Em 2019, outros dois núcleos foram fundados na regional Extremo Sul, nas cidades de Forquilinha e Orleans.

“O núcleo serve como escola para despertar a liderança da mulher e prepará-la para assumir posições de destaque e decisão”, garante a presidente do Ceme, Janelise Royer dos Santos. “Para quem não está inserido no processo, pode ser difícil perceber a importância da união das mulheres em seus núcleos, mas eu só conquistei liberdade e representatividade profissional e pessoal, após participar do núcleo na minha associação”, complementa.

De acordo com ela, as ações realizadas pelo Conselho e disseminadas pelos núcleos têm o objetivo de capacitar e empoderar as empresárias, para que se desafiem em novos papéis e sejam protagonistas em seus negócios e na comunidade. “Juntas crescemos, nos desenvolvemos e ganhamos voz, pois a liderança se alicerça no apoio que damos umas às outras. O trabalho dos núcleos é incrível e estamos muito felizes pelas mais de mil mulheres empresárias e empreendedoras que compõe nossa rede Ceme. Juntas, somos mais fortes”, reforça Janelise.

Um núcleo para atender a duas cidades empreendedoras

O Extremo Oeste do Estado tem como característica um grande potencial para o associativismo, que ganhou força com a criação de mais um núcleo da mulher empresária, ligado à Associação Empresarial de Santa Helena e Tunápolis (Aest). Segundo a coordenadora do núcleo, Elise Gretzler Trenhago, o primeiro ano de atividade foi marcado por ações de estruturação, além de eventos que serviram, especialmente, para divulgar o núcleo perante a comunidade.

“Associativismo, empreendedorisomo, sessões de negócios, empoderamento feminino, liderança, capacitações, autoconhecimento e planejamento são algumas palavras que há um ano passaram a fazer parte não só do meu dia a dia, mas de outras 22 mulheres empresárias que se comprometeram com a formação do núcleo em nossa entidade”, comenta Elise.

Entre as atividades realizadas neste primeiro ano, destaque para o evento “Café, Moda e Beleza” e uma palestra em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Outras ações internas de fortalecimento e integração do grupo também ocorreram conforme o planejamento e a missão estabelecida, de forma conjunta, pelas nucleadas.

“Acredito que o núcleo vem contribuindo para o empreendedorismo feminino dos dois municípios, pois desenvolve um trabalho em grupo, com o envolvimento da comunidade. Compartilhando conhecimentos e o crescimento das nucleadas, busca promover projetos, reafirmar e empoderar constantemente a mulher, também desmistificando visões culturais ainda impregnadas”, salienta a coordenadora.

Núcleo de Santa Helena/Tunápolis em confraternização

Núcleo de Santa Helena/Tunápolis em confraternização


Geração de negócios e protagonismo feminino em alta

Incentivar a liderança, oportunidades de negócios e a inserção da mulher no contexto empresarial foi o que motivou um grupo de empreendedoras a buscar a implantação do Núcleo da Mulher Empreendedora de Ituporanga, no Alto Vale. Uma dessas líderes, e hoje coordenadora do núcleo, Marcia S. Schmitt, relata que o processo de formação contou com o apoio da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), por meio da consultora regional, Sheila Mazureck, e da vice-presidente regional do Ceme, Ana Amélia Jorge da Silva.

A fundação ocorreu em julho de 2018 e atualmente são 19 integrantes no núcleo. “Conquistamos espaço dentro da associação empresarial e, principalmente, junto ao setor empresarial, com nossa dedicação e capacidade de desenvolver novos paradigmas para a mulher empreendedora. Hoje, inclusive, a associação é presidida por uma nucleada”, ressalta a coordenadora.

“Buscamos ser um grupo bem heterogêneo e de inclusão. Fazemos isso de forma organizada para que todas mulheres se sintam pertencentes e realmente encorajadas a dar o seu melhor, a se fortalecer e crescer dentro de suas empresas e dentro do nosso cenário econômico atual”, afirma. Para este ano, o núcleo já tem programadas diversas ações, entre elas, workshops, viagens técnicas, cursos, eventos e uma assembleia do Ceme.

Na opinião de Márcia, o núcleo está trazendo muitos benefícios: “Já estabelecemos parcerias entre as nucleadas e visamos muito a geração de negócios, a geração de valor, o empreendedorismo, o protagonismo feminino, a visibilidade das empresas nucleadas e o networking. Foi extremamente positivo esse primeiro ano”, conclui.

Integrantes do Núcleo da Mulher Empreendedora de Ituporanga

Integrantes do núcleo de Ituporanga em evento do Dia da Mulher Empreendedora

Primeira gestão cria raízes e demonstra valor

“Foi um ano de descobertas. No início tínhamos receio, pois várias das empresárias que convidamos para participar do núcleo nos deixavam claro que aguardariam para ver se daria certo, então foi um ano onde tivemos que construir nosso relacionamento e confiança”. Assim é definido o primeiro ano de atividade do Núcleo da Mulher Empresária de Curitibanos, pela atual coordenadora, Fernanda Medeiros Pires.

Localizado na regional Meio Oeste, o núcleo demonstrou seu valor e firmou-se com a realização de atividades como os workshops internos. Nesses momentos, cada nucleada contou a história de sua empresa, suas dificuldades e superações. Outras ações promovidas foram um curso de liderança feminina, uma ação social e um workshop com o tema “Mulheres equilibristas”.

“Com as ações e entrevistas que realizamos nesse período, acredito que mostramos para as mulheres que todas têm capacidade de empreender e que, mesmo com todas as responsabilidades que temos, conseguimos equilibrar tudo sem perder a leveza feminina”, pontua a coordenadora.

Reunião de fundação do núcleo em Curitibanos

Reunião de fundação do núcleo em Curitibanos

Demanda que surgiu da administração municipal

Um caso peculiar ocorreu com a fundação do Núcleo da Mulher Empresária de Caibi, já que a cidade não possui uma associação empresarial e a demanda surgiu a partir de uma necessidade apontada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo. O núcleo nasceu, então, vinculado à Associação Empresarial de Palmitos, município vizinho de Caibi.

Entusiasmada, a coordenadora Odete Bazzi menciona que o núcleo já conseguiu mobilizar a comunidade com suas ações e ganhou visibilidade em menos de um ano de implantação. Nesse pouco tempo, as nucleadas já participaram de missões empresariais, eventos junto à associação de Palmitos e reuniões do Conselho de Turismo de Caibi. Destaque para a realização de uma palestra em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e para outros grandes eventos na cidade de Caibi: as primeiras edições do Festival de Pinheiros e do Festival de Sabores.

“Tendo em vista que o Natal de Caibi deixou de ser apenas um atrativo turístico – inclusive temos um plano de turismo que trabalha o natal como nosso principal produto turístico, com uma geração de emprego e renda para muitas pessoas –, nós, do núcleo, resolvemos então contribuir com uma ação voltada para o Natal, realizando o Festival dos Pinheiros do Doce Natal de Caibi. No dia dessa ação, tivemos a participação de 44 empresas que ajudaram a enfeitar os pinheiros de nossa praça e foi muito bonito ver o resultado”, explica Odete.

O Festival dos Sabores é outra iniciativa do núcleo que deve ser incorporada ao calendário de eventos do município. Com foco na gastronomia, o evento teve um público superior a 300 pessoas e visou apresentar uma mostra da culinária caibiense, aliando isso a uma ação social, já que metade dos lucros foram doados ao hospital da cidade. “Nessa edição, oferecemos doces, salgados e produtos integrais, e a ideia é inovar nos tipos de pratos a cada ano. Foi realmente um sucesso e ficamos muito gratas”, finaliza a coordenadora.

1º Festival dos Pinheiros promovido pelo núcleo em Caibi

1º Festival dos Pinheiros promovido pelo núcleo em Caibi

Como participar

Se você se identifica com o movimento e tem interesse em participar ou ajudar a fundar um núcleo em sua cidade, entre em contato com a associação empresarial mais próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *